terça-feira, 21 de julho de 2015

"ALAR"





Veio no ar,
com o vento do mar,
a soprar caricias,
na ânsia de amar.

veio assim sem alarde ,
num fim de tarde,
ao por do sol...

Um envolucro sem graça,
numa embalagem para viagem,
que fora esquecido na margem...

veio o tempo sorrateiro,
moleque menino arteiro,
mexer naquele ninho...

o tempo sempre padrasto,
foi deixando seu rastro
na quebra daquele ovo...

numa manha úmida,
percebe-se o vazio,
do casulo no estio.

Foi como veio,
pelo ar,no sopro do vento,
desalento do tempo...

que lhe permitiu voar!


Jose Regi
Imagem Sarlota Ban

Nenhum comentário:

Postar um comentário