sábado, 4 de julho de 2015

"DISSIPADOR"




Uma foto,um foco,um fato,
mesmo que falso!
Que desfaça e rechace
esta nuvem de fumaça,
que aos olhos embaça.

Um vaga-lume,que assuma
a clareza deste lumiar.
Pequeno ,sutil suficiência,
ante a deficiência de brilho
das trilhas.

Rompendo a perene escuridão,
voos tortos,desengonçados,
ritmando um caminhar inseguro,
perante a incerteza do pouso.

Uma seta,uma meta-física ou sensorial,
uma rima,uma prosa,um verso
ou diversos,que reveja os traços,
os passos,os rabiscos e rascunhos deixados,
num pretérito sempre presente,sem futuro! .

Desejos mórbidos de vida,
uma sorte ,um norte,
que desvie o destino,que ponha dúvida,
quanto a hora da morte.

Que seja o que tiver de ser,
se for pra ser,sem dor,
pois viver e morrer...
Tenho duplo caso de Amor!

Jose Regi Poesia​

Nenhum comentário:

Postar um comentário