sexta-feira, 14 de novembro de 2014

"CHEIRO DE CAFÉ E VIDA"


Tem cheiro de candeia fumegando,
um cheiro ardido de doer os olhos,
levanto olhar sobre o distante,
é lá na casinha do terreiro,
de onde vem o tal cheiro.

Ainda meio tonto,
não refeito por inteiro,
vou caminhando,
cabelos espatifados,
o rosto amarrotado
da noite de sono bom.

Outro aroma invade as narinas,
ao aproximar do fogão a lenha,
então lavo o rosto na bica,
os olhos se aguçam e o
aroma de café fresco me abraça.

Rosca,broa de milho,
bolão de fubá,
leite da mimosa fervido,
mesa posta
e o sol sentado a me esperar.

Amanhece na roça,
o dia sempre apressado toma seu café
e segue agitado pra não perder a hora,
o vento sopra sem rumo,
as flores ainda orvalhadas se secam ao sol da manha,
vou despertando aos goles de café com leite.

Os passarinhos fazem algazarras,
alaridos e sons diversos,
as galinhas,os bichos soltos,
os gatos e cachorros correndo,
a vida enfim desperta.

Sigo pra lida,pra luta,
com a essência do simples,
sem grandeza no sonho,
aqui tenho tudo que preciso,
água corrente e nos olhos,
na roça a vida acontece...

Desde o amanhecer
até quando anoitece!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário