sexta-feira, 31 de maio de 2013

"PORTAL"




Uma mala vazia,
as águas trazia
á beira da baia
no fim do dia.

Era resquício
de uma viagem
sem volta
após a passagem.


Era o portal que se abrira
na calada da tarde.
Que viera busca-la
para outro lado da margem.

Agora entre e me encontre
aqui além do horizonte...
Quero de novo olha-la,
e pela eternidade...
A-MALA.

Reginaldo

terça-feira, 28 de maio de 2013

"ACABOU"


Mais embaixo impossível,
onde estou que não me acho,
neste subconsciente,
que consente esse sentir?

Quero um pouco de ar,
por a cara pra fora do esquife,
onde repousa inerte
esse corpo sem vida.

Sem luz,sombra eterna,
na sub-existência rasteira,
misturado a poeira
do sapato no chão.

Maldito vil metal,
que escraviza e sacrifica
a boa fé 
e o bem viver,crucifica.

Que prioriza o resultado,
a qualquer custo,
as duras penas
sem poder sair de cena.

É um sub-produto
deste sub-mundo
sub-desenvolvido
sob o comando de alguém.

Pobre homem,
jamais será um nobre,
não possui valores que agregam,
é mais um entre as maquinas.

Mão de obra barata,
sangue de barata,
quando não servir mais,
Se descarta.

Sub-julgado
julgado e
condenado 
a sub-missão.

Adestrado para se apresentar
nesse circo a céu aberto,
sem direito a bilheteria,
Abandonado a própria sorte.

Agora jaz aqui alguém que:
passou sem "ser",
foi sem ter "sido"...
Cedo. 

Reginaldo

segunda-feira, 27 de maio de 2013

"DIÁRIO DOS SONHOS"





A noite se foi,
não me lembro de nada
agora é tarde...
Realidade.



Entre sonhos e delírios,
do profundo inconsciente,
não me lembro de nada...
Infelizmente.

Quero lembrar onde fui,
onde estive,
porque da sensação boa?
Não me lembro de nada.
Isso me atordoa.

Acho que vim só 
sonhar aqui na realidade,
o real mesmo é lá...
Onde não me lembro de nada.
Mais será?

Quando voltar ,
tenho um plano que vou executar.
Pra não esquecer de nada,
lá do imaginário.
Vou levar a tira colo,
meu "sonhario"

Reginaldo

sábado, 25 de maio de 2013

"ADORNO FLORAL"




Rosa é a cor dos delírios,
Lírios
para um rosto pálido e branco.



Sinto o gosto do cheiro,
que remete ao frescor
do que não vejo.

Tenho o gosto,o cheiro,
mas a visão não revela
a beleza que envolve teu ser. 

Adorno floral.

Percebo com clareza,
a riqueza do simples
pelos toque dos colibris.

Reginaldo

sexta-feira, 24 de maio de 2013

"PESADELO"




Só na multidão,
sedento pela luz, 
de além da escuridão.

Ontem me era uma visão,
hoje o tenho nas mãos,
amanha só na imaginação.

O ciclo que se fecha,
não deixa brecha,
vão ou fresta...
Nada é evidente.

A certeza do agora... 
Apavora, espanta,
até que o momento seguinte...
Desponta.

Suave como a bruma
que permeia este ser...
Incrédulo.

Atravesso as sombras,
a penumbra no fim da noite,
vislumbro outro dia.

Abro de novo os olhos,
O vale das trevas era
só um sonho ruim.

Acabou!

"ABSTRAÇÃO"




Nascia...
Ingenua,nua,indefesa...
Uma pessoa se fazia.

Adolescia...
Jovem bela,belas curvas
Em algum lugar se perdia.

Vadia...
Irradia depravação,
exala transgressão.

Valia...
Quanto queria...
Quando amor vendia.

Envelhecia...
Nos ombros o peso do tempo,
que lhe roubou a mercadoria.

Morria...
Sem se fazer conhecida...Indigente,
no findar de outro dia...
Anonima Maria.

Reginaldo

quarta-feira, 22 de maio de 2013

" SONHAR COM VOCÊ"





Fogo,Afago, Afogo...
Apago a luz do abajur
surgem na penumbra azul
silhuetas em curvas profanas.

Arde em chamas...
Me chamas,
me clamas ,
me amas.

Depois vai como veio,
fico só com o receio...
Com o temor de ter sido...
Só um sonho.

Suponho que foi,
proponho que volte.
Prenda-se em meus laços,
entre meus braços.

No silencio do meu quarto
quando eu adormecer...
Me afague,
me afogue,
me incendeie!

                                                                                                                                  Reginaldo

terça-feira, 21 de maio de 2013

"Sufocado"


                        




No terreno onde impera as sombras,


na escuridão,



floresce vivo o amor.


 ,
Sufocado pela traição fatal,



porque amar é ...



Morrer um pouco,



é mergulho no breu total.


                            Reginaldo

"RENASCIDO"

...VIVER,
CRESCER,
VENCER.

DEPOIS DE TUDO,
PERECER,
DE NOVO NASCER

E NOVAMENTE SER.
RENATO.



Reginaldo

"A IDOLATRIA DO SILENCIO"


                           


"A IDOLATRIA DO SILENCIO"

Em nossas prosas já morri e voltei,
mas sempre trazendo ramos daquela terra,
vezes Tártaro,
vezes Elísio,
mas nunca pagão,
pois sempre sacro o retorno é.

Eu sempre estive aqui, as vezes só estou ocupado.
Houve tempos em que queria apenas brincar e amar.
Hoje tenho poemas,
cálculos,
quarks,
pão,
lavar louças,
varrer casa,
paixões,
amigos,
família,
reclamações,
cobrança,
stress,
um mundo de merda...

As vezes dá tempo pra amar,
perdoar,
dialogar,
falar...

Descendo dos pés do altar, quase caí, pois não devia descer.
Essas obrigações são suporte para salvação, vencer.
A vida,
o mundo...

As pessoas falam em felicidade sem sofrimento:
UTOPIA!
O sofrimento nos leva ao paraíso,
não há justificativa para à falta de amor e atenção...

Há motivos:

Reginaldo

sábado, 18 de maio de 2013

"AMANHECEU"




Abri os olhos pra hoje,puxei o ar,
respirei fundo...

Juntei os cacos de ontem e me pus de pé,
equilibrei em cima das pernas.

Dei o primeiro passo do dia,
pai nosso,ave maria ...

Me joguei,
na incerteza do daqui a pouco.

A Vida é assim...
Um troço meio louco.

Reginaldo

sexta-feira, 17 de maio de 2013

"REPLETO DE VAZIO"




Vazio,oco,
um buraco cheio de...
Espaços.

Alamedas do sem fim,
caminhante triste,sem horizonte...
Perdido.

Grita no silencio,
nem o vento quer ouvi-lo,
ocupado com o balanço das folhas secas.

Cheio de nada,
repleto de coisa alguma,
quer dividir o que farta
das suas lacunas.

Não adianta,
a lira hoje não virá!

Acho qué mesmo assim...
Fugiu de ti.

Sem prosa,
sem rima,
sem verso,
só mais um ócio,
ante ao abismo.

Agonia,não tente entender,
vazio...
Não conseguiria.  

                                    Reginaldo

quinta-feira, 16 de maio de 2013

'DISSIMULADO"





Vou dizer,que não quis dizer...
O que disse sem querer,
pra ficar o dito pelo não dito.
Gosto de dissimular...
As vezes.

Reginaldo

"PERCEPÇÃO"




"Percepção"


Paixão,
com-paixão,
por vezes um puxão,
apaixonado coração.

Mundo doido ,
varrido e assoprado,
rápido ,louco ,aloprado,
não percebe o sentir

Insiste em seguir,
assim sem pensar,
sem viver, sem amar.

Vai sofrer!Ah vai...
A paixão engana,
é fugaz,abstrata.
De repente...Vai
e não se retrata.

O amor é concreto,
palpável, sensível...
Eterno,se for amor.

O cheiro ,a cor,
o brilho ,o odor,
olhar pra nada...
Tudo é você.

Maduro presente.
na corrente do tempo,
do vento que serpenteia
despenteando os cachos.

Cacho de luz ,nu...
Azul do céu,
amargo sofrer!
Por amar você.


                                                                                                                                    Reginaldo

terça-feira, 14 de maio de 2013

" TRANSCENDÊNCIA"






Medo do escuro ,
da clausura,
da prisão,
do frio que lhe causava arrepios...

Porta fechada,
lacrada,sentia falta
da luz,do ar negado
da liberdade roubada.

Passou pelo crivo do tempo
sem perceber,
sem bater ,
sem abrir,
sem querer...

Agora as portas que se fecharam;
foram arrombadas,
saiu sem levar o corpo,
livre,
sem culpa ,
sem peso...
Leve como uma neblina,
suave como uma sombra que é.

Reginaldo

segunda-feira, 13 de maio de 2013

"RUAS NUAS"





Estava na rua nua,
sem calma,nem alma.
Longe da flora e da fauna,
no deserto de mim mesmo.

Faltou a luz que não peguei,
que não busquei,
que não enxerguei.

Sigo a tua luz,
por estradas escuras,
por ruas nuas;
de qualquer sentir.

Estradas sem margens,
sem beiras, sem sombras,
não ha luz...

Sinto que o que sinto,
minto pra mim...
A verdade é uma incógnita

Entre o medo e o pavor,
a exata ausência tua,
em frente...
Nesta estrada nua.

Reginaldo

sexta-feira, 10 de maio de 2013

"CAMINHOS VERDES"



Ver te nos olhos,
verte lagrimas de saudade...
Verde da imatura idade.

Caminha no teu rosto,
sulcos do tempo,
rios de ilusão.

Rugas que não são tuas,
minhas mãos acariciam
tua pele lisa e nua.

Pobre criança,
que não sabes andar ainda
mas ja ensaia pra dança.

Trilha de sonhos,
alameda dos anjos...
ouve -se o som dos banjos

Passos incertos,
apoio frágil,
caminho deserto.

Ao  menos tem sede,
ingenua curiosidade,
andas por caminhos verdes.

Segues rumo ao mundo,
sagrado ,profano, imundo...
cercado do verde 
esperança,

Que por vezes te vende...


Reginaldo