segunda-feira, 3 de junho de 2013



"INTEIREZA"



Mesmo rumo,
onde todos andam,
sobre suas sombras.
Meus rastros não deixam marcas.
Flutuo sobre mim.



A Luz que todos querem,
para sair das sombras.
Não vejo sobre mim...
Porque?

Acho que ando na penumbra,
misto de luz e sombra,
onde claro e escuro se fundem
num abraço único.
"Inteireza"

Aí,nesta completude surge a luz
e as sombras do meu eu.
Minha auraessencia...
Essa que me conduz.

(nome do poema ,sugerido do mesmo bate papo com TaniaContreiras Arteterapeuta)

Reginaldo

Um comentário:

  1. Um poeta faz luz onde é sombra, e sombra onde só há luz: contraste, arte de fragmentar o inteiro e de inteirar os fragmentos! :-)

    beijos,

    ResponderExcluir