"OUTRA VEZ"





Desperta
com a luz do ultimo por do sol,
alumeia o caminho,
onde permeia sonhos,
onde desabrocha em viço e força,
o dia de amanhã.

Recebo do tempo,
a chance de viver e sentir,
os ventos vindouros,
de uma aurora recém,
eu refém das horas que passam,
e porque passam,chegam... E vão.

No vão das coisas efêmeras,
no vazio oco dos meus ecos,
nos gritos silenciosos,
no pouso atribulado.

Vem e vai qual maré e lua cheia,
qual areia na ampulheta,
qual agulha na vitrola,
que faz soar o som.

Vem como o sol do amanhecer,
com o crepúsculo do fim do dia,
como a noite tardia ,
mas aprazível e acalentadora,
noite dos amantes e boêmios,
dos bêbados e abstêmios,
de meses,anos e milênios.

Toco a luz deste farol,
arrebol dourado,
o corpo se entrega ,
no cais do porto,
fim do percurso,
ancoradouro seguro,
amarro firme as cordas do meu barco,
sento na beira do mar...


Amar no futuro.



Reginaldo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tributo a meu berço

"Flor Bebê"

Obra inacabada