sábado, 21 de dezembro de 2013

"CLAVE DE SOL"









Desabam fluxos do tempo,

desaguam os olhos que contemplam,
a boca murmura ,
palavras doces.

Ventou-me boas novas,
ante a desconfiança,
tudo renasce,
renova-se,
remonta de novo a esperança.

Sopra suave uma canção em sol maior,
encandece o dia,
embala seres,
harmoniza...

Aqueles da floresta encantada,
dos nossos sonhos,
onde pássaros e cavalos alados,
dividem o mesmo céu.

Fecha-se um ciclo,
este vento que traz de longe a tempestade,
é o arauto de tranquilas bonanças.

Abraço teu corpo,
relaxo em teus braços,
declamo ao teu ouvido,
"Soneto da fidelidade"

Sinto no rosto o arrebol,
e nos olhos vejo,
o brilho e o som,
de uma clave de sol.



Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário