quarta-feira, 4 de março de 2015

"Companhia"

Por vezes,
A Morte me Faz Pusilânime,
cambaleante,desconexo,
trôpego nos próprios Rastros!

Finito,,
Tua certeza insana,
causa sempre surpresa
a minha vã sanidade!

Lucido,
Não entendo esta sombra,
que rouba a minha claridade,
assombra de me matar!

Louco,
Tento me resguardar,
manter o viço dos olhos
para quando encontrar...

Fitar nos olhos dela,
com doçura abrir os braços
e dar-te as mãos.

Pode ser o fim ou minha salvação!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário