terça-feira, 21 de outubro de 2014

"POETA ?"


O que é aquele ser,
que vê sol em dia nublado,
que busca arco-iris na escuridão,
que faz chover com o céu azul,
que sonha pedra voando,
pássaros florindo,
flores migrando?
Que vive o paralelismo
do real e o abstrato,
que é húmus de alimentar delírios,
é substrato de palavras doces
ao amargor geral e imutável?
Quem é ele?
Que grita silêncios,
que finge normal,
que fala besteiras
que senta na praça,
olha sem graça
a sinfonia do vento.
Louco?
Loucura,
essa vida da gente,
passado,futuro e presente,
ouvindo o dia,
chamar pela noite,
num encontro que não acontece,
a tarde sempre interfere no amor destes dois.
Diabo...!
Um dia me acabo,
sem eira nem beira,
no fim desta estrada,
de curvas acentuadas,
de retas escritas tortas,
a beira de um livro,
liquido como o rio preguiça.
Ainda fujo de mim,
deixo pra traz este corpo,
para poleiro de garça,
me embrenho em voo,
liberto e solto,
na corrente das maresias.
Ainda fujo daqui,
pra dentro da poesia...
Um dia...Um dia!

Jose Reginaldo Da Silva da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário