terça-feira, 21 de outubro de 2014

"ÁGUA DE MOLHAR SECURA"

Deslisa minhas mãos
nas curvas da manha,
meus olhos contemplam
o sol recém acordado.

Nuvens são esperança,
de ver o céu desabar,
lagrimas dos olhos,
que alguém deixou de chorar.

Abraço o dia como a um corpo
ardente,carente do desejo de ser
mais que um templo de alma.

O vento sopra frescor,
ameniza as nuances,
abranda o calor.

O pensamento é água parada,
no remanso do regato,
roda em círculos
sem rota de fuga.

Quero verde,
quero verte
quero verter cascata
em meio tua mata virgem.

Quero sal.
o doce amargo,
quero âmago,
quero a falta de ar,
quero escorrer
em teu corpo.

Sem querer ...Amar

Em teu céu azul...Chover!


Nenhum comentário:

Postar um comentário