domingo, 27 de dezembro de 2015

"Tão Eu e somente Eu"


minha janela de ver o tempo
está aberta pra dentro
prendendo a cortina
no canto da sala
há uma fala muda
no vaso de flor de plástico
que mantêm o viço
sem rega
uma fotografia amarela
no porta retrato
ainda mostra o sorriso
dos idos de ontem
a cadeira ,a mesa e o livro
enquanto me livro do asco
de mal sonhados sonhos
pela janela
outro dia,outra chance
outra pedra no caminho
que vou contornar
pra não mudar o cenário
meu teatro é meu defeito
a vida é só um vento breve
um sopro morno
onde a alma ferve
na verve da felicidade
existe horizonte além dos olhos
ao alcance das mãos
que desejo tocar!
JOSE REGI

Nenhum comentário:

Postar um comentário