domingo, 27 de dezembro de 2015

Sá Maria




Ela sobe a ladeira
Tem pressa no tempo escasso,
Não pintou o cabelo
Nem vestiu seu melhor pano.

Segue fatigada no rumo
A crença humana de salvação,
Seu caminho indica o desejo
De subir ao mais alto dos céus.

Pois sempre lhe fora dito
Que lá está o altíssimo
O reino dos justos
A paz eterna.

Corre depois de engatinhar,
De jogar bola nas ruas,
De lavar a alma nas águas da chuva,
De quem carrega a proteção, nas mãos.

Já foi Mariinha, Mariazinha,
Já foi Má, namorada, mãe e avó,
Na correria...
Hoje é só Sá Maria!

Tropeçando nos passos
Sempre apressado
Das ruas de pedra talhada
Para não perder a missa.

Jose Regi


Nenhum comentário:

Postar um comentário