sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Soprando Brasa



Eis que semeias
Um jardim imaginário amiúde,
Cíclico despetalar folhas secas
Ao vento de levar pra ontem

Renasce
Num mar de ondas vãs
Onde há sempre um vão
A invadir ondas novas

Ante a histeria balburdiante
De frases sem nenhuma cor
Uma prece apetece
O silêncio multicolorido

Sopra a centelha,
A vida é um flerte eterno e fugaz,
Como os fogos agora cinza
Da noite passada

Que ainda arde!


Jose Regi