sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

"INSONE"



Vago nas noites sem sono,
grito no silencio por tua luz...
Insano!

Insone,
amante das horas mortas,
vivo meus delírios,
ali faço meu quelônio,
e desafio os meus demônios.

Vago no breu sem lume,
na margem do pesadelo,
mas são os sonhos,
a causa do ciúme.

Quero acordar e não consigo,
morrer já não me cabe,
espero que quebre o encanto,
o jeito?
Só você sabe!

Um beijo na ponta do queijo
ou estaca no coração,
pode ser a saída,
o portal,a libertação.

Me abrace de mansinho,
não me cause tanta dor,
me desperte com carinho,
com a luz do teu amor.

Ou deixe-me insone,a vagar,
se assim não for...
Por favor!
Reginaldo

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

"PORQUE TEM QUE SER ASSIM?"



Estou sob a sombra do que me resta,
na penumbra de alguma assombração,
busco o riacho de águas calmas,
alento pro coração.

Sou este rio turbulento,
bravio,sem barreiras,
desço do alto das colinas,

só pra dar um abraço no mar.

Este sereno,grandioso,
azul dos olhos teus,
roubastes do mar a cor,
o feitiço,o amor.

Sigo por estes campos sozinho,
trilho oposto caminho,
não me regi o destino,
eu velho ainda menino.

Andei sob teu julgo,
sob seus caprichos,
anulei-me por ti,
mas não te culpo!

Fiz meu,teu caminho,
andando no teu rasto,
sentindo teu cheiro,
vivendo teus passos.

Passou...
Hoje sou só uma sombra,
um penumbra,
temendo o amanhecer...

Não querendo passar.

Mas vou!


Reginaldo 29/01/2014

"AS CEGAS"

"AS CEGAS"

Sou eu menino,
brigando com o destino,
que me arrasta a você.

Perdido nos desatinos,
mundo sem razão,
sem sentido e destino.

Excluído me sinto,
dentre tantos olhares cegos,
como me encontrou neste recinto?

Nada impossível ao amor,
quando a razão domina.
Por isso essa dor!

Preciso que se libertes,
pra viver este sonho,
mesmo que o mundo se torne medonho.

É preciso perder  pra ganhar,
te ofereço a minha razão,
pelo prazer de te amar.

Sacrifício e decapitação, 
perco por ti a cabeça,
tenho os olhos da emoção.

Enfim somos eu e você,
agora as cegas,pro mundo,
que não vai nos vencer.

Deixei  de esmolar,
joguei fora o chapéu,
agora posso amar!

Não nos falta mais nada,
a emoção que nos uniu...
Será os olhos da estrada.


Reginaldo


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

"REFLEXOS DE UM VELHO AMOR QUE O TEMPO ESCONDEU"



...Onde estais?
...Porque se escondes?
Vejo apenas tuas mãos,
que o tempo maltratou!

Quero vela,toca-la,
acarinhar o teu rosto...
Onde estais?
Porque se escondes?

Porque me mostras,
reflexos de nada?
De passado,
dos idos vividos,
reflexos doloridos de um amor.

Sei que não te atraio mais,
é mais belo a moldura,
olhe-me com ternura,
de quem descansa,
traído pelo olhar.

Deixe viajar teus olhos,
foque na vida do entorno,
ha beleza nas folhas secas,
estas que voltam revigoradas
no ver de vidas verdes.

Venha sentar ao meu lado,
aliviar o fardo do corpo esguio,
aconchegar na poltrona,
que já não te abraça
com o mesmo furor.

Venha...

Sem mascaras,sem espelhos,
sem mentiras.
Vamos assinar a tela,
esta que o tempo pintou,
a história do nosso...

Velho Amor!

"UM TREM CHAMADO SAUDADE"



"UM TREM CHAMADO SAUDADE"

Ele passava todo dia!
sempre na hora marcada,
atras ia eu e a molecada,
ate parar na estação.

descia gente,coisas e tudo...

Subia gente,coisas e tudo mais,
sonhos de ir,desejos do mundo,
levavam a alma dos que ficavam,
como eu e a molecada.

Até que um dia,ele foi de vez...

Não mais chegou na hora marcada,
acabou,saudade marcada ficou,
não corria mais atras,nem eu
nem a molecada.

Ficaram os trilhos,indicando o caminho.

Caminhos que levaram os sonhos,
gente,coisas e tudo,desejos do mundo.
Hoje só lembrança do trem,desses dias...

Pra matar a saudade,Poesia!

Na hora marcada,
embarquei "eu"
e a molecada!



Reginaldo

(Inspirado numa foto de Joaquim Santana De Almeida,carinhosamente conhecido por Quim,Pai de Cássia Almeida)

sábado, 25 de janeiro de 2014

"GABRIEL"

"GABRIEL"


Guardo no meu peito, um
amor que arde feito
brasa.
resignado fico a
imaginar e sonhar
em um dia poder sair desta
letargia.

Rasgo todas as memórias
arrumo as
prateleiras,
humanizo tudo,
unindo o nó do nosso
laço.

Sinto
imenso
levitar,
vago
esperançoso sobre a
ira do pensar
reflito e suplico por seu
amor.

Gritarei então e cantarei
aos
rincões distantes,
canções que digam sobre as
incontáveis  formas de

Amar.


Reginaldo  25/01/2014

(Acrostico poético para o neto de um amigo meu)

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

"PENSSARINHOS"

Abro a gaiola pro campo,
das nuvens,
Solto os pássaros,
voam meus pensamentos!

Vai pro mundo da lua,
pra terra da lira,
as palavras nuas,
ditas de forma pura.

Virgens,imaturas,
tocam o céu da boca,
loucas pra sair,
encontrar alguém pra ouvir.

Despenca como chuvada de janeiro,
enxarca as minhas expectativas,
molha os olhos.
Faz brotar na vastidão
inóspita das minhas planícies.

A Flor que nasceu,
se apossou de mim,
cercou,envolveu,
dominou ,doeu...!

Mas valeu semear,
espalhar as palavras,
plantar...
Hoje ha pomar,
florestas,matas verdes...

Hoje colho Amar!

                                                                                             Reginaldo



"NAVEGANTE"



Mergulho no silencio!
As horas gritam,
no eco de coisas
que não dizem nada,
no oco dos dias
que se vão mortos,

no vão daqueles
que se foram cedo...
Sinto saudade!

Navegam agora,
nas águas dos mares de fora,
enfrentando as tormentas,
de lamentos contidos,
uivos,sussurros,gemidos!

Jardineiro mudo,
nem um assovio,
nem um sabiá,
ouvi-se apenas o vento,
nem um fio de pensamento.

Amigo do vento,
que enche as velas,
sopra,conduz!
Timoneiro destas águas,
desvela a imensidão,
tudo é um ponto só.

Navegante das profundezas,
recebe o carinho do vento,
o abraço do tempo,
solitário em sonho,
cratera aberta,
ferida exposta profunda,
nos olhos...
Dores do mundo.

Busca um porto seguro,
um ancoradouro,
um cais.
Ta cansado de navegar,
nas turbulências,nas intempéries,
chega de perambular
nas precipitações!

Chega de hibernação,
dormência, inércia...
Cessou o vento,
parou o barco,
é hora de despertar!

Reginaldo

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

"CONCEPÇÃO"




Concedo-me o delírio,
concorro com milhões,
tenho que sair na frente,
tenho uma única chance,
pra um alvo de difícil alcance.

Mas vou...
Nadando,voando,empurrando,
correndo e concorrendo a luz,
do chegar primeiro.

Um buraco negro...
Aparedado por iguais,
mergulho vertical,
vou vencendo a via crucies,
via sacra,
via vida,
via luz,que ainda não via.

Mistério...
Uma montanha vem abaixo,
uma gestação,
uma estação se finda,
uma passagem,
só de ida,
uma fenda,
um nascedouro,
uma senda.

Vencedor...
Esta batalha acabou,
enfim a luz se fez,
se deu,
um suspiro,
um choro,
um fim ,pra o começo,
nasceu...

"Eu"!

                                                                                                  Reginaldo

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

"FRAGMENTOS DE DESEJO"




Que se despertem,
que se abram os sentidos,
que se absorvam a seiva.

Que se deixem levar pelas palavras,
que escorrem dos olhos e lábios
do mensageiro.

Que se amoleçam nas mãos do oleiro
e se façam gente,
a mais perfeita obra sonhada pelo criador.

Que se realizem,se revelem,se encontrem,
que se desejem e que esses momentos
se imortalizem,mesmo que por um simples instante.

Que o sopro da vida seja brisa leve,
pra conduzir...
Mas que se torne vendaval,
se acaso não despertares!



Reginaldo

"DO NADA ,CRIOU MANDALA."



Pintou de negro a noite,
colocou claridade nos dias,
artista expressionista,
fez dos contrários,
arte e poesia.

Do Nada...

Usou verde, rosa,branco,
vermelho,amarelo,vinho,
miscigenou seres,
coloriu ,
aquarelou.

Criou...

Entre disparidades e nuances,
equilíbrios sutis,discretos,
com uma perspicácia impar,
pincelou na tela morta,
traços vitais,
vitrais de luz e essência,
tudo com quatro elementos.

Mandala...

Regi agora os mares,
impera sobre o sol,
descansa sobre a terra.
desliza sobre os ares,
Comanda o tempo,
efêmero e fugaz,
senhor das eras.

Assim se fez!


Reginaldo


sábado, 18 de janeiro de 2014

"ENCANTOS GERAIS"


É Minas dos olhos dela,
da boca da noite,
da tarde dourada,
enluarada estrada,

que brilha nas fendas,
das montanhas gerais.

É minas da água na bica,
do véu das cascatas,
das vilas enfeitadas,
da quermesse
e da serenata.

É Minas ,é fonte,
é horizonte a perder de vista,
quando o mistério desnuda,
lá longe depois dos montes.

É Minas das margaridas,
das rosas,das flores,
multicolorimos de arco iris
que brilha na iris da mulher amada.

É Minas,é mais,
aquela da musica,
que quem conhece
não esquece jamais.

É Minas do carro de boi,
que chora de dor,
deixando pra trás,
terra de Grandes,
poetas,pensadores,
políticos...

É Minas terra da gente,
da gente que fala cantado,
disfarçando seus "ais"
É Minas "Uai"...
É Minas Gerais.

Reginaldo.


(Foto do álbum Sul de Minas,da minha Amiga Lazara Papandrea,não resisti ao encanto !!! Versei pra você.)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

"LÁBIOS DE MEL"



Negros cabelos,
noite em cascatas,
brilho da lua,
canção,serenata.

Cheiro de flor do campo,
orvalhada,
aroma silvestre,
solta ,
livre,
no estio da savana.

Tens os lábios de mel,
o doce olhar do encanto,
envolvente,
fatal,
cruel.

És a mais bela flor de açucena,
uma fresta na tenda,
onde entra a luz de Ceci,
Índia pequena,
és minha senda,
minha amada...
Iracema.

Reginaldo

"MARCAS DO TEMPO"



Voo rasante,
fragmentos de sentimentos,
vazante de tempos antes,
estampidos,
estalos,
instantes.

Benfizeram-me seus lábios,
fonte dos meus desejos,
onde mato a sede,
de bem viver.
Amor além das colinas,
mais que desejo é Sina.  

Inocente aprendiz,
de uma alma felina
a vagar nos meus campos.
Nos troncos das Nogueiras,
rabiscos e recados,
pedaços de nós dois,
marcas Ferinas.

Arabescos artesanais,
entalhados a Unha,
olhos que viram 
tanto amor insano,
só queriam ver escrito...
"Eu Te Amo!"



Reginaldo

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

"VAGANTE"




A NOITE  ME VELA,
TRAZ DO DIA UMA LUZ,
CLARA FEITO LAMPIÃO DE GAZ,
CONDUZ E O CAMINHO SE FAZ.

SIGO POR ESTE,
BIFURCANDO,
ENCANTOS 
E ENCONTROS
ACONTECEM NA VIAGEM.

O QUE NÃO VAI ,
VOLTA.
O ESPIRITO VÊ O CORPO,
ORATÓRIO,
MORADA,
DESISTE DA JORNADA.

INCORPORA,
NÃO PERECE!
SUSPIRA ALIVIADO,
MEXE,
ACORDA,
ENTRE DELÍRIOS
E PESADELOS,
AMANHECE. 

Reginaldo 

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

"OPOSTOS"





FUJO DO MEU LADO SUJO,
DEGRADADO,CAÍDO. 
TEMO...SOFRO,
MAS SOU EU
COMIGO MESMO!

INÚTIL PENSAR,LUTAR,
TENTAR DESVENCILHAR,
SOMOS UM...

EXTREMOS NÃO SE SUPORTAM,
HABITAM O MESMO CORPO.
PARADOXO EXISTENCIAL.

CAMINHO DIFUSO,
ANDARILHO DA LUZ 
E AMANTE DAS TREVAS.

VAGO SEM NEXO,FORA DO EIXO
NUM ESPAÇO SOMBRIO,
QUE NÃO É MEU LUGAR.

POR ISSO A FUGA,
QUE NÃO ACONTECE,
POIS NÃO HA CONCORDÂNCIA.

SEM ACORDO,
SEGUE O CONFLITO,
BATALHA INGLÓRIA.

SEM VENCEDOR,
ME DO POR VENCIDO,
DENTRO DESTES OPOSTOS.

Reginaldo.

sábado, 11 de janeiro de 2014

"ENCONTRO"


                     



Um dia,a poesia
juntaria e traria
essa parceria.


sob o olhar de encantamento,
Wilson,admira e absorve,
toda doçura que sai...
Dos lábios de Cai.

Agora a arte,
em voo,Caritta flutua.
Com suas asas abençoa,
os voos de Cai Duarte.




Reginaldo



(Pra poeta CAI DUARTE,com carinho.)

"RABISCOS DE NÓS DOIS"




Vida em capa dura,
em partes,
desencontros,

que quase se tocam,
quando se fecham.

Livro...
Reunião de nadas,
paginas rabiscadas,
não dizem nada,
silenciosas,
quase falam de tudo.

Livro-me...
Ainda em negrito,
ergo as mãos,
que te buscam
em vão...Um grito.

Porque?
não te rebelas,
ruma ao meu horizonte,
beber da água na fonte,
atravesse pra pagina de cá.

Assim...
Ganhará alma o poema,
findará dilema diversos,
versos que ninguém leu,
mas que por amor,
o destino escreveu. 


Reginaldo 

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

" NEM EM SONHO"





QUANDO RASTEIRO OLHAR,
MAU SOMBRA LHE COBRE,
NOITE SEM VAGA-LUME,
VAGA SEM LUME A ALMA.

LUA ESCONDE NO SONHO,
BEIRA O ABISMO PESADELO,
ESTRANHA ESTE MEU PENAR,
TRISTEZA ENORME EM NEGRITO,
SOFRO QUE NÃO "TA"ESCRITO!

SOLVO ESSÊNCIA DA MORTE,
APURO UM POUCO DE SORTE,
TOMO COMO PROTEÇÃO,
QUEM SABE POR UM DESCUIDO,
O DESTINO,
ME POUPE DA SOMBRA E ESCURIDÃO.

SOB A LUZ DO CANDIEIRO,
QUE MISTURA A QUE VEM DE FORA,
UM RAIO DE VIDA,
LÁ ATRÁS DO CELEIRO ,
DESPERTA NA MADRUGADA,
LOGO TERÁ AMANHECIDO.

ARDE EU AQUI EM CALOR,
PORQUE O BEM QUE BEM ME QUER,
ESCONDEU-SE NO MEU SONHO,
NEGAS O AMOR!
ATÉ NO SONHO MEU
MEU AMOR FOGE DE MIM,
QUEM SABE NÃO SEJA MEU,
SÓ O SONHO QUE SIM!


Reginaldo

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

"MIOLO DA MARGARIDA"





...A cor do poema,
garimpando no imaginário
entre certezas e dilemas?

Teorema...

Escrito nas névoas,
em cada alvorecer ,
no alar das asas,
em delírios alados,
em voos rasantes,
horas que morrem
a cada instantes.

Problema...

Indecifrável,
insolúvel,
inútil tentar,
se não tiver na bagagem,
suavidade,sensibilidade
e olhar de minúcias.

Revelação...

Se dará assim,
com olhar minúsculo,
de pequeno que somos,
ante a grandiosidade da obra,
está que se dissipa,
como fumaça,
se não amoleceres a alma.

Sutil...

Ha de ser olhar,
para observar,
a beleza imensa,
do miolo da margarida,
no preto e amarelo da abelha,
do vermelho do cardeal,
pois a vida tem cores,
diversas,que atravessa,
o nosso caminhar.

Ah,a cor do poema?

É da cor que você pintar!


Reginaldo

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

"CORTINA DE FUMAÇA"



Na via em que vinha,
não via o que havia.

Caminhos sem volta,
noites sem lua,
a escuridão. 
embaça visão de menino,
uma porta se abre,
escancara-se o destino.

Atraido ,sigo sem relutar,
empurrado, 
sem saber o que encontrar,
sem certeza,
sem perguntas,
sem ninguém...sem nada!

Pode ser o édem.
poderá ser o inferno,
não tenho como saber.

Salto no escuro amarelo,
na sombra dourada,
na nuvem do sonho
que venta chegada.

Se for armadilha cairei,
na trilha do que busquei,
do odio que já senti ,
ou no amor que terei.

Pois flores  plantei,
nas margens sobre pedras,
solitário andarilho.

Todavia,
neste descaminho,
não via o que havia...

Reginaldo

"EFÊMERIDADES"

Efêmero,
é o tempo que,
escorrem dos olhos,
juntan-se as lágrimas,
pedaços de dor,
passam pelos lábios,

derreten-se em beijos
e palavras doces
que amargaram,
por não serem ditas!
Relativo pensar
em momentos,
quando a eternidade
vira um sopro,
um vento.
Reginaldo

sábado, 4 de janeiro de 2014

" METÁFORAS"

META,FORA,
O QUE APAVORA...

MASCARAS,
FALSIDADES,
IMPERFEIÇÕES,

DEMORAS,
DISSABORES
DESAMORES.

ACEITE,
DECIFRE
REVELE-SE...

NAS ENTRELINHAS
E NAS METÁFORAS.


Reginaldo

"CLARAESSENCIA"


CLARA SURGE,
ANTE O ROUGE AMANHECER,
COM RAIOS DE FIOS DOURADOS,
COM OS CABELOS DESARRUMADOS,
ASSUSTA ,MAS NÃO ESPANTA,
LOUCO OS OLHOS ENCARAM,
ENCANTAM.

VEM COM GRAÇA ,
EMBARALHA E EMBAÇA,
EMBALSA A VIDA,
REDOMA DE LUZ,
CALOR QUE SEDUZ,
ESTRADA,CAMINHO,
CONDUZ.

VEIO DE TRAZ DA ESCURIDÃO,
EMPURROU-A PRA LONGE,
PÔS LUZ NAS SOMBRAS,
PENUMBRA SE FOI,
COM OS OLHOS DO DIA,
SE FEZ CANÇÃO ,MÚSICA,
MELODIA.

ROMPEU COM AS TREVAS,
VAGA NA CLARIDADE,
NA FLOR DA IDADE,
VIÇO E FELICIDADE,
LINDA,EXUBERA E SUPERA,
O MÉRITO DO MEU MERECER.

DIGNO SOU?
SERA?
DE TER O TEU AMOR?

BELA ,LINDA,
MENINA AINDA,
EXIBINDO-SE MULHER,
NINFA EM METAMORFOSE,
DESFAZ-SE DO CASULO,
PRA VIAJAR NO IMAGINÁRIO,
DESTE SEU ADMIRADOR.



Reginaldo

"ILUSÕES"



Abelhas ,dálias e borboletas, 

cravos ,margaridas e violetas,
joaninhas,besouros e passarinhos,
crisântemos,capitães e jasmins...

Cores ,vidas e cheiros de jardim.

Visões e desejos
de uma alma da terra nua,
pisando a poeira,
andando as margens
de caminhos sem verde,
sem viço,
sem nada de esperança.

Despejo dos olhos,
vermelho de poeira
lagrimas de utopia,
choro em poesia.

Cada lagrima uma semente,
cada semente uma planta,
cada planta uma vida,
cada vida uma sombra,
cada sombra um sonho,
cada sonho uma certeza,
cada certeza uma esperança.

Ter esperança em novo semear,
de colher quem passar,
nos caminhos que chorei,
flores de "mim",
arvores de "eu"
sombras do que "sou".

Pedaços de campo verde,
em meio ao marrom eterno,
ao deserto de uma alma,
que insiste em viver
lá atrás...
Além do jardim.



Reginaldo